sexta-feira, fevereiro 23, 2018

FLAUTA DOCE

A flauta doce rivaliza com o piano,
geme sua canção tirando do espírito
o sentimento que o menino traz na alma.

O pianista reeduca suas mãos
para fazer sobressair o choro da flauta doce.

Quando a flauta se sente protagonista,
o menino parece flutuar,
e percebe-se a presença de um doce espírito.

E as mãos seguram a flauta junto à boca
e o menino balança-se em revoluteios
leves como a brisa;
parecendo as ondas do mar
em suas curvaturas harmônicas.

Lembra o céu, lembra o mar!
Há mistérios na canção
que só o coração que busca pode sentir;
flauta doce aos ouvidos
de corações amargurados pela vida;
sons apaziguantes
cheios de uma divina melodia:
há uma canção de paz em teus gemidos,
há uma oração de gratidão em meus sentidos.

Josué Ebenézer Rio das Ostras,
10/02/2018 (06h14min).

quinta-feira, fevereiro 22, 2018

“DISCIPULAGEM”

Quero tocar em teus duros ombros
e fazer-te sentir minha preocupação.

Se eu te enviasse um bocado de flores?
De tuas mãos penderia uma cachoeira perfumada.

Se eu te enviasse uns livros inspiradores?
Uma página, quem sabe, uma página
fosse lida com a mensagem que quero te oferecer...

Tu nem imaginas que estás no meu cartão-alvo;
que quando acordo oro sempre por ti.
Sonhara agora mesmo com o dia
que sorririas alegre no encontro com Deus.

Queres que te ofereça
uma canção na rádio de Deus?

Tu passeias em canções de adoração
quando louvo no templo e lembro de ti.
É um passeio azul-celeste do Espírito
porque quero te elevar às alturas de Deus.

Hoje eu desejo comer uma pizza contigo
e sentir os sabores da amizade sincera.
Quero fazer uma oração de gratidão em público
pelo que Deus faz, é, e pode fazer em ti.

Quero ver-te caminhando livre
nos campos de uma vida nova;
liberto das correntes que te aprisionavam
a um passado triste sem Deus.

Te adicionei virtualmente em minha lista de oração.
Teu perfil passeia todas as manhãs por meus pensamentos bons.
Quero arrancar-te o sorriso da liberdade,
quero dizer-te que tudo é vaidade,
que a vida vai e vai a mocidade
que se perde nos devaneios do existir...

Quero ver teu rosto aformoseando-se
porque teu coração tomou um banho de loja espiritual;
porque recebestes o batismo do Espírito
e o infinito céu de Deus mergulhou em tua direção.

E neste instante de glórias infindas
tu dirás palavras-pombas,
brancas como a paz de tuas novas canções.
E aquelas feias palavras-bombas,
de antes, já não mais existirão...

Tu soltarás raios de esperanças
em olhos brilhantes como as estrelas de Deus.

Nós seremos como os pequeninos
que Jesus juntou para fazer deles seu Reino.

Tu serás infante no dia que clareou;
viveremos a emoção do parque que brilhou
a Luz do Cristo no breu do mundo.

Sinto que meu sorriso se junta ao teu
sorriso e rimos a alegria de Deus.

Há festas nos céus!

E és como o bálsamo em ti mesmo e
nos que te amam.

E derramas do teu espírito
na alegria incontida,
como o óleo da comunhão
que desce sobre a barba de Arão.

Eu quero orar agradecendo o
discípulo que nasceu em ti;
quero abraçar-te, amigo,
na estrada dessa vida,
e caminhar contigo sob chuva
vivenciando a purificação do Alto
e a experimentação da alegria
de ser vida em tua vida
porque Jesus é vida na minha.

Josué Ebenézer Nova Friburgo,
08/02/2018 (06h03min).

POEMA DO ALTO

Vem do Alto, lá do Alto
meu socorro vem do Alto
lá no alto está meu Deus
forte como rocha inamovível...

Se eu erguesse meus braços flácidos
para os altos, em atitude de adoração...
E o vento batesse forte em mim?

Se elevasse os meus olhos para os montes
em busca de socorro; de onde viria?

Vem do Alto, lá do Alto
meu socorro vem do Alto
vem de Deus o meu socorro
vem daquele que governa das alturas...

Estás cansado e oprimido,
o horizonte ficou quadrado e limitado?

Agita-se o teu coração e inquieta-se a alma?
Estás à porta do desespero?

Elevar-se!
Faça isso!
Subir às alturas de Deus com os olhos da fé.

Enlevar-se!
Entrar nas nuvens de Deus
na montanha da inspiração.

O meu Deus é Soberano
seus pensamentos e caminhos são mais altos que os meus.
Não queiras rebaixar o Alto para tua vida rasteira,
mas, eleva a tua vida até o patamar onde Deus se encontra.

Faz boa escolha
quem caminha os caminhos de Deus
quem pensa os pensamentos de Deus.

Minha vida é álamo jovem
solto na paisagem erma da existência.
Minha vida é árvore leve
que balança ao vento e a qualquer tremor.
Mas minha atitude altaneira
de olhar para as altitudes de Deus
não me deixa quebrar ante as inclinações da existência.

Posso curvar-me e dobrar,
mas não quebro não,
pois cada inclinação é uma súplica
ao Alto para que não me deixe cair;
cada dobra da vida é uma oração.

As folhas dos meus poemas
são como as folhas da árvore  que é minha vida:
quando algum se desprende e vai ao solo
vai adubar a terra onde outros nascerão...

Vem do Alto, lá do Alto
meu socorro vem do Alto
vem do Criador de todas as coisas
que governa toda a Criação.

Submisso, confiante,
mesmo em meio às circunstâncias difíceis
dedico este poema Àquele
que ainda que a figueira não floresça...

Me fará andar sobre os meus lugares altos!

Josué Ebenézer Nova Friburgo,
06/02/2018 (05h45min).

quarta-feira, fevereiro 21, 2018

CANÇÃO DO MINUTO FINAL

Uma pedra caiu.
Outra, àquela se seguiu.
Não ficou pedra sobre pedra
e começou a tentativa de engano
na penumbra do mundo –
apresentando-se como o Cristo.

O sol, como bola de fogo,
entrou na janela da sala à meia-noite...

Ouve-se falar de guerras.

Puxa-se o tapete das civilizações
e há muita poeira escondida...

Nação contra nação
reino contra reino
irmão contra irmão
fomes, pestes, terremotos...

Chove ainda uma chuva fina:
tudo é apenas o princípio das dores.

Ninguém se comunica
bradam-se gritos de desespero
parte-se o espelho enigmático
há pavor por todo lado.

Os cristãos são entregues ao tormento
muitos são martirizados
o ódio aos filhos de Deus se expande
por causa do Nome de Jesus.

Sucumbe o gênero humano:
silenciam-se as mídias tecnológicas...

Ilógica vida tecnológica
que destruiu a Humanidade.

O escândalo toma conta da urbanidade
a traição é a regra
e prolifera o aborrecimento.
E surgem falsos profetas
enganando a muitos com suas lábias.

A iniquidade se multiplica como febre amarela,
enquanto o amor esfria na destampada panela...

Mas, a perseverança subiu
como asa delta colorida
que numa tarde serrana
ganhou a atmosfera
dos corações onde não tem fim
a perseverança que salva...

O relógio da humanidade parou
estamos no minuto final do mundo.
Jesus voltou!
Veio como relâmpago
que se mostra do Oriente ao Ocidente.
Veio sobre as nuvens
com grande poder e glória.

Meu coração arde como em Emaús.
Um grupo de discípulos comigo
sente bater no coração
toda a angústia do Projeto de Deus!

O sol escurece,
as estrelas caem do céu
as potências são abaladas.
Miríades de anjos
fazem o cortejo do Rei.

É o minuto final.
Todos se veem, todos se ouvem.
E não há um ser em pé, um sequer:
todos os joelhos se dobram!

É o minuto final.
O alarido é santo, santo, santo.
E não há uma boca fechada, uma sequer:
toda língua confessa Jesus Cristo como Senhor!

De repente o silêncio.
O silêncio infinito!
Estamos nos segundos finais do minuto final.
Jesus acaba de separar os bodes das ovelhas
e, olhando em nossa direção, diz:

Vinde, benditos de meu Pai,
possuí por herança o Reino
que vos está preparado desde
a fundação deste mundo!

Anjos e homens irrompem em
Glórias e Aleluias
e acordam no Paraíso...

Josué Ebenézer Rio das Ostras,
09/02/2018 (07h27min).

quinta-feira, fevereiro 08, 2018

ÁGUA

Grotão verde nas montanhas expostas.

Contemplo a força da Natureza.

Água.

A sede é toda minha, sede de Deus.
Meus olhos contemplam a fonte, o jorrar,
de águas cristalinas que brotam do seio da terra.

Meu coração tem sede de Deus!
Já não resolve o bebericar das águas oferecidas.
Quer ir direto à fonte.
Não servem poço ou cisterna, quer água límpida.
Por mais fundo de onde venha
ou mais antigo que seja o poço
ou que tenha maior tradição:
meu coração quer a fonte
de Água Viva anunciada Jesus.

As árvores nativas escondem a fonte;
as robustas árvores revelam a fonte...

O viço surpreendente do grotão
anuncia que a fonte é boa...

Coro angelical das águas
que deslizam sobre seixos roliços.

Águas moldam pedras!

A Água Viva amolece corações de pedra.
Cristo molda os empedernidos e
purifica os arruinados moralmente...

Na Fonte ouve-se o bater do coração de Deus.

Água...

Josué Ebenézer Nova Friburgo,
05/02/2018 (04h47min).

UM TREM NOTURNO QUE PASSA

Era uma noite de estrelas que assistia o trem
passando ligeiro nos trilhos da minha vida.

Sentado,
só um pensamento rompia o silêncio da alma.
(O trem soltava faíscas nos trilhos.)

Que noite aquela de menino sonhador,
Maria-Fumaça!
Vontade de pular dentro do vagão de carga
e sumir na cidade grande, depois da escuridão.

Era uma noite de estrelas
dentre tantas que beiravam a linha férrea...

Vontade incontrolável de ganhar o mundo...

O apito do trem anunciava a proximidade da estação...

Recolhi meu pensamento ao lembrar de mãe:
ela me procuraria em minha cama na manhã seguinte.

O trem foi embora mais uma vez.
O trem foi embora para sempre.
Eu nunca parti.
Fiquei até o fim dos dias da minha mãe.

Ficarei, também, até os meus...

Josué Ebenézer Nova Friburgo,
04/02/2018 (06h10min).

NOITE DE IGREJA DO INTERIOR

Noite de igreja do interior, balbúrdia infante,
o templo antigo iluminado e sorridente,
os bancos limpos convidando todos a entrar
e as janelas escancarando possibilidades ao infinito...

Noite clara – os céus de estrelas tomado
o pio da coruja no mourão alto da cerca
e o coaxar dos sapos no brejo
dando ritmo aos passos dos que chegam.

Cantam as meninas no pátio,
num ensaio de última hora da apresentação.

Conversam juniores ridentes,
enquanto chutam bolinhas de papel.

Há homens sérios de terno e gravata
fazendo saudações pomposas.

Casais, com suas crianças,
saem de dentro de uns poucos carros.

Alguns rapazes sisudos
descem de sua montaria impecável.

Um alto-falante toca Feliciano Amaral.

Quanto jasmim perfuma o pasto e ao longe
em meio ao capim limão –
copos de leite sobressaem na noite
fazendo a dança do vento...

O dirigente chega e à sua passagem
os mais velhos consultam relógios
e somam-se aos que já estão
dentro do templo iluminado.

Parece que a noite está inspiradora
como os cultos festivos de Natal.
Meu coração se incendeia de luz
e minha voz quer louvar na liberdade do campo...

A Igreja louva em fervente adoração
e o templo já poderosamente iluminado
é fogo puro nos cinco sentidos do corpo humano
maximizados no Corpo de Cristo ali presente.

Noite de Igreja do interior, recordação;
minha infância vem à tona neste dia de sonho.

Como numa visão dos céus minha alma repousa.

Eu vi a luz de Cristo brilhar no mundo!

Josué Ebenézer Nova Friburgo,
02/02/2018 (05h52min).

terça-feira, fevereiro 06, 2018

QUANDO ME CHAMAS DE PAI

Tu nem sabes que bem divino,
que alegria louca me fazes sentir
quando me chamas de pai...

É como se destravassem comportas
de águas represadas
e uma cachoeira de vida
rolasse abaixo
nas montanhas do meu viver,
r
  e
    s
      p
        i
          n
            g
              a
                n
                  d
                    o felicidade para todo lado...

Tu nem sabes que bem divino,
que alegria louca me fazes sentir
quando me chamas de pai...

É como se abrisse a portinhola da gaiola
e o pássaro aprisionado dentro de mim
ganhasse os céus da existência
e fizesse piruetas de contentamento
nos novos ares da liberdade.

Tu nem sabes que bem divino,
que alegria louca me fazes sentir
quando me chamas de pai...

É como se no campo, do nada, se fizesse Primavera
e as árvores e arbustos se revestissem de cores
e meu ser descolorido fosse tomado de flores
e o perfume em mim sentido fosse de uma nova era.

Tu nem sabes que bem divino,
que alegria louca me fazes sentir
quando me chamas de pai...

Eu digo isso pra ti em trânsito
com atenção na estrada e o coração na boca.
Tento adivinhar as emoções dessa fala
enquanto as lágrimas aquecem meu rosto sofrido...

Percebo que levas uma mão à face
e imagino a emoção que também te assalta.
Ato contínuo pegas um lenço de papel
(meu coração em suspenso)
há surpresas na manhã da vida...

Mas...
Simplesmente assoas o nariz!

Tu nem sabes que frustração danada,
que decepção louca me fizeste sentir,
quando me provocastes um ai...

Pensei no Pai do céu que tanto nos amou,
ao ponto de seu Filho ao mundo ter mandado.
Pensei na alegria dos céus, junto ao Pai
quando na terra um pecador se arrepende.

Mas em cultos, RDs, evangelismo pessoal,
em PGMs e oportunidades que se apresentam
para experimentação do Amor Supremo...

Muitos ouvem e até choram, mas...
Simplesmente voltam às comidas dos porcos.

Josué Ebenézer Nova Friburgo,
01/02/2018 (06h11min).